Ensaio Chapada dos Veadeiros

Aline & Fábio

O amor, mais uma vez, nos levou para um lugar incrível e inesquecível! A Aline e o Fábio, que hoje posso dizer que são nossos amigos, nos ganharam já na primeira conversa! “Estejam livres quanto ao local para o pré-wedding! Onde o coração de vocês bate mais forte?” e quase antes de eu terminar a frase, a Aline já perguntou: “Vocês topariam fazer nosso ensaio na Chapada dos Veadeiros?”. E assim a vida trouxe mais algumassss lições com essa viagem e com esse casalzão, uma pena não conseguir trazer tudo em um post!


O cerrado é um verdadeiro milagre! E quanto mais nós conhecíamos, tanto do cerrado como do casal, mais fazia sentido estar ali com eles. Intensidade, renovação, profundidade, conexão e liberdade transbordavam em ambos! Entendemos nesses dias por lá que para viver o cerrado, precisaríamos realmente nos aprofundar nele! E pra nós, a sua maior beleza está nos detalhes. Ou seja, são muitas semelhanças com tudo que acreditamos sobre o amor e os relacionamentos.


A Aline é doidinha, não tem medo dos desafios a frente, topa qualquer parada, só quer dar boas risadas. Uma boa definição sobre a Aline é nossa imagem do grupo no WhatsApp que tem a Dora Aventureira! Haha. E o Fábio se diverte com a loucura da Aline. Fábio é companheiro, também topa tudo (mas algumas vezes encorajado por ela haha) e cuida bastante  da Aline. Um equilíbrio perfeito entre o destemor e a cautela. Para quem acredita em signos, dois capricornianos muito parecidos pelo Sol e complementares e diferentes pela Lua.


Inclusive, tomamos uma surra da natureza com o céu desse lugar. Nascer e o pôr do sol que ficarão pra sempre no coração (e nas fotos, claro! rs...). Durante o dia araras-azuis e tucanos coloriam o céu com muita frequência e a noite, além do cheirinho de anoitecer, faltava espaço no céu para tantas estrelas. Sem contar as cachoeiras, que você se banha sentindo a alma sendo purificada por inteira, como já dizia a Aline e também Natiruts! rs...


Nós desejamos para todos os casais, nesse post em especial para Aline e Fábio, que assim como as árvores do cerrado, tenhamos raízes profundas para nos dar suporte em todas as sazonalidades do relacionar-se!